Email

prjonataslopes@gmail.com

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Família

Desde algum tempo a esta parte, enquanto família, tomámos a opção de investir cada vez mais no nosso lar.
Significa isto que a Filipa abdicou do seu “lado profissional” para investir o seu tempo a servir na Igreja Baptista da Graça – temos a visão de família pastoral - e, acima de tudo, na edificação do nosso lar. Provérbios 14:1 tem sido um versículo que tem ecoado na nossa mente “Toda mulher sábia edifica a sua casa”.
Queremos que ela esteja disponível, em todos os aspectos, para servir os nossos filhos com todo o cuidado que eles necessitam, assim como, também, para fazer uma filtragem de tudo o que eles recebem de “lá de fora” enquanto frequentam o ensino público.
Sendo assim, desde há 1 ano para cá, ela está a trabalhar no nosso lar e ajuda-me também a servir na comunidade Baptista da Graça com um cuidado que apenas uma mulher de Deus o pode fazer.
Muitas vezes ouvimos dizer “Isso é o ideal. Tomáramos nós conseguir fazer isso. Se a Filipa deixou o trabalho, é porque vocês podem financeiramente”. No entanto, basta verem o nosso extracto bancário para verem que o aspecto que mais faz equilibrar o nosso orçamento é a fé. É um exercício diário.
A verdade é que nunca tínhamos usado o Serviço Nacional de Saúde como agora. Receber roupa usada para os nossos filhos é uma das maiores bênçãos que Deus nos tem dado. Temos tido ofertas que não contávamos e que servem simplesmente para pagar contas em atraso. É impressionante como, por vezes, recebemos o valor em falta ao cêntimo.Vemos também a graça de Deus quando sou Pastor de uma comunidade que me honra financeiramente.
A nossa experiência tem-nos dito que a providência de Deus nunca falha mesmo quando o nosso orçamento ou saldo de conta têm saldo negativo. Ele arranja sempre forma de nos sustentar, nem que seja com um mero acerto da EDP.
Hoje tivemos que comunicar na escola do Samuel que este era o último mês que ele ia. Explicámos a visão que temos para a família – sempre a partir da nossa fé em Cristo - e, face a isso, à contenção de custos que teremos de fazer para que a Filipa fique em casa. Assim esperamos pelo dia em que O Samuel tenha vaga numa escola pública.
Achava eu que iam reagir mal. Qual não foi o nosso espanto quando a directora da escola diz “A sério? Eu estou tão feliz com a vossa visão. Já perdemos estes valores há muito tempo e isso está a notar-se no estado das nossas crianças. Daí perceber a razão dos seus filhos serem diferentes. Não desistam desta visão. Levem-na até onde conseguirem”. Respondi-lhe “Amém. Somente Deus para nos ajudar”.
Tem sido uma bênção conseguirmos ter tempo com os nossos filhos. Eles chegam bastante cedo a casa, podemos brincar com eles, estarmos disponíveis mentalmente para eles e, acima de tudo, termos tempo em família com Deus.
De facto há muitas privações e muita “boca no pó” mas confiamos que o Senhor nos honrará nesta caminhada familiar.
Preocupamo-nos tanto que os nossos filhos sejam bons estudantes, músicos ou até desportistas, mas a nossa principal preocupação como pais é levar os nossos filhos até Cristo.

A nossa oração é para que Deus nos ajude para que o nosso lar seja sempre uma imagem visível do Seu Evangelho. Assim Ele nos ajude.