Email

prjonataslopes@gmail.com

domingo, 16 de novembro de 2014

Investir enquanto é tempo...

Há algum tempo a esta parte os clubes portugueses perceberam o estado do futebol português. Pouca capacidade nos futebolistas portugueses e, face a isso, pouca representatividade portuguesa nos nossos clubes. Podemos ver o que aconteceu na nossa selecção nacional. Tiveram que ir chamar os “reformados” para fazerem aquilo que os “mais novos” não conseguiram.
Isto aconteceu como resultado de investirem durante anos em estrangeiros esquecendo-se assim de apostar de forma séria na formação.
A verdade é que vários clubes já estão a apostar em ter uma formação séria para que passados alguns anos possam recolher esses frutos. O Benfica, por exemplo, está à investir na formação seriamente desde 2006 e só a partir do próximo ano, é a minha convicção, irá colher resultados.
Outros, já começaram a investir nos portugueses e já estão a colher resultados.
A verdade é que isto não aconteceu por algum tipo de xenofobia mas porque sentem que é necessário investir nos portugueses para que possa haver uma continuidade a nível nacional.
Resumidamente estão a fazer o seguinte: 1º Uma aposta séria na formação. 2º Investir nos jovens portugueses.
Em certo sentido, talvez, devamos enquanto comunidades baptistas portuguesas reflectir um pouco sobre a nossa realidade nacional.
Devíamos cada vez mais investir numa formação académica para os alunos do nosso seminário e investir nos jovens portugueses, em vez de chamarmos estrangeiros para Portugal para fazerem aquilo que um jovem nosso pudesse fazer.
Vamos investir mais na formação da nossa juventude. Vamos investir cada vez mais nos nossos jovens já formados e certamente iremos colher no seu tempo. Pode ser, é certo, que leve o seu período mas vale a pena correr esse “risco”.
Mais uma vez, não tenho nada contra os estrangeiros até porque devemos ser bastante agradecidos por aquilo que eles fizeram e estão a fazer no nosso País.
Custa-me apenas ver o pouco investimento feito na formação dos nossos jovens e na pouca “aposta” que se tem feito.
Vejo jovens formados e por formar que apenas necessitam de uma comunidade ou um conjunto de comunidades que investam neles.

Agradeço a Deus porque um dia o Pastor Heitor Gomes olhou para mim e decidiu investir na minha vida sendo que naquela altura nada tinha para oferecer de especial. Simplesmente convidou-me e disse “Vou investir em ti”.