Email

prjonataslopes@gmail.com

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Vida de Pastor...

Vida de Pastor
Tenho lido algumas biografias de servos fiéis ao Senhor Deus. Homens que dedicaram o seu tempo, a sua vida e abdicaram dos seus gostos pessoais.
Curiosamente, quase todas essas pessoas, revelaram problemas de ansiedade, depressão ou frustração. Alguns mesmo, mal se conseguiam levantar da cama durante uns tempos. Para uns sinal de fraqueza, para mim sinal de responsabilidade bastante pesada.
Notamos também, ao olhar para países como os USA ou o Brasil, que alguns servos do Senhor cometeram suicídio (sim, é possível ser cometido por um cristão) após grandes estados de depressão.
Muitas vezes, o Senhor convoca-nos a orar durante a noite. Confesso que não tenho aproveitado muito as minhas insónias (algumas noites consigo apenas dormir 2 a 3 horas) para orar.
Outras vezes, quando temos já as coisas planeadas, o Senhor chama-nos para irmos dar aconselhamento a alguém ou resolvermos um problema difícil, que passou despercebido à comunidade. Muito do trabalho do pastor não se vê. Ou se confia ou não.
No entanto, mesmo após essas coisas, ainda ouvimos alguém a dizer “O que o pastor anda a fazer durante a semana? Só prepara os sermões e a EBD? Como é bom ser pastor. Um sermão prepara-se em 3 horas e já está. Eu trabalho muito mais e ganho muito menos”.
A verdade é que ninguém está no ministério por dinheiro, se fosse por dinheiro, provavelmente estaríamos a trabalhar noutro sítio qualquer a ganhar 3 vezes mais.
Também, o que acontece algumas vezes é que os pastores sofrem de frustração ou ansiedade, por verem que as pessoas não estão a responder aos apelos que têm sido feitos.
Amados pastores precisamos de entregar tudo nas mãos de Deus, continuar a pregar a Palavra e deixar que o Espírito faça a Sua obra independentemente do que as pessoas possam pensar. Somos chamados a pregar todo o conselho de Deus.
Amados irmãos, com isto apenas queria pedir-vos para orarem pelos vossos pastores. Amarem-nos com todo o vosso coração. Eles são iguais e têm a mesma importância que outro cristão qualquer, no entanto, têm funções com consequências eternas. Este é um peso grande que apenas em oração conseguimos aguentar dia após dia.
Deixo-vos um texto…
“Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão-de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil”.

Hebreus 13:17